sábado, 20 de outubro de 2012

Conheçam um pouco mais sobre o Rob Whitlock

HEY ULTIMANIACS!!


Mais uma vez, venho pedir perdão a todos vocês pelo imenso 'delay' na publicação dessa entrevista. Devido a motivos de força maior, não pude agilizar isto brevemente.

Porém, não poderia deixar de atualizar o nosso querido fan blog com esta breve conversa que o nosso colaborador Chiquinho Nóbrega teve com o homem dos graves, Rob Whitlock!!!

Sem mais delongas, confiram abaixo a entrevista. 




Obrigado pela entrevista, nós do ODE TO METAL estamos muito felizes por saber um pouco sobre você.
Rob, você entrou no Ultimatum em 2001, como você encontrou-se com a banda, e como aconteceu o convite para você se ajuntar ao Ultimatum?

Rob: Na verdade eu me ajuntei ao Ultimatum em 2002. Eu tinha o album “Puppet of Destruction” e era um fã. Eu vi a banda se apresentar na Expo Stryper. Em 2002 eles postaram no site que eles estavam procurando um baixista.
Eu contatei Robert e consegui uma audição. Fiz uma viajem para Albuquerque e me apresentei.
Robert me chamou cerca de uma semana depois e me convidou para integrar à banda .

Você teve alguns projetos com algumas bandas locais da Califórnia nos anos 80; quais eram essas bandas, e como era a cena underground nessa época?

Rob: Sim, Eu sou da Califórnia. Eu toquei e umas poucas bandas iniciantes. O então cenário era muito bom. Rock e Metal não eram underground até então. Eles eram ‘mainstream’.

Você gravou o álbum “Into The Pit” e “Lex Metalis”; como foi o processo de gravação, e a criação das linhas de Baixo das musicas?

Rob: Eu gravei “ ‘Til the end”, “Into the Pit” e “Lex Metalis”. O processo de gravação foi muito bom.

O álbum “Into the Pit” é um dos melhores trabalhos do Ultimatum, fora que marca sua entrada na banda. Qual é a sua música favorita nesse album?

Rob: Obrigado, eu estou muito orgulhoso do álbum; eu gosto de todas as músicas, é difícil escolher favoritas.

Quais baixos e equipamentos foram usados na gravação de “Into The Pit” e “Lex Metallis”?

Rob: No “Into The Pit” eu usei os baixos Schecter Stilleto, Jackson Kelly, Rickenbacker 4001 e o Dean Rhapsody 8-cordas. No “Lex Metalis” eu usei um baixo Gibson Explorer e um Rickenbacker 4001. Usei um amplificador Ampeg SVT3 Pro em ambos os álbuns.


Como foram as gravações das novas músicas para o novo album comemorativo de 20 anos da banda Ultimatum, “Heart Of Metal”?

Rob: As gravações para as novas músicas correram muito bem.

Para você, qual é o propósito da banda Ultimatum, e o segredo para a banda estar ativa por todo esse tempo?

Rob: Entregar um duro, esmagador, enérgico heavy metal com a mensagem de Cristo. Não é segredo, nós permanecemos verdadeiros no que somos.

Como foi sua conversão, e qual igreja você frequenta?

Rob: Eu conheci a Cristo em 1995, quando eu estava na prisão. Eu freqüento a ‘Temple Of The Spirit’ (Templo do Espírito).

Quais momentos foram mais marcantes pra você desde a sua entrada no Ultimatum?

Rob: Primeiro, compor músicas e gravá-las. E os shows, Metal Mardi Gras, e ambos Cornerstone e Up From The Ashes. Todas as pessoas e bandas que eu conheci.

Quais são suas influências musicais e baixistas favorites?

Rob: Eu aprendi a tocar nos anos 70 e 80. Então eu sou principalmente influenciado pela música dessa época. Meus baixistas favoritos são Steve Harris, Geezer Butler, Gene Simmons, D.D. Verni e muitos outros.

Mais uma vez, obrigada pela entrevista. Mande uma mensagem para os fãs brasileiros!

Rob: Aos fãs no Brasil: Muito obrigada pelo apoio, ‘stay heavy,  stay true’. Boa sorte e que Deus os abençoe.


Neck snapping, Fist pumping, Headbanging, HEART OF METAL!!!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário